Unidade de Intervenção cardiovascular do Hospital Particular do Algarve: 10 anos a cuidar do coração dos algarvios

A Unidade de Intervenção Cardiovascular (UIC) do Hospital Particular do Algarve acaba de celebrar 10 anos desde a sua criação, em Maio de 2001.

Com o objectivo de responder a uma lacuna de saúde na região do Algarve e dar rápida resposta a situações de perigo de vida, como é o caso do enfarte agudo do miocárdio, que necessita de tratamento em menos de três horas através de angioplastia (desobstrução da artéria do coração por cateterismo), a UIC trata actualmente cerca 200 doentes da região Sul por ano e realiza mais de 600 exames diagnósticos.

Segundo o Professor José Baptista, cardiologista de Intervenção do Hospital Particular do Algarve, “o aparecimento da UIC veio modificar a esperança de vida de muitos doentes que de outra forma poderiam não ter tido acesso a estas técnicas de angioplastia”.

E acrescenta: “até 2001 não existia nenhuma sala de hemodinâmica a sul de Setúbal pelo que todos os doentes com enfarte do miocárdio ocorridos no Algarve tinham de ser transportados por ambulâncias ou por helicóptero para um Hospital em Lisboa, facto que, para além dos elevados custos, impedia que doentes fossem tratados na janela de tempo mais eficaz para o seu tratamento.

Ao longo dos últimos anos, a unidade tem sido pioneira na utilização de inúmeras técnicas inovadoras na área da cardiologia, como as angioplastias carotídeas, tendo sido inclusivamente um dos primeiros centros nacionais a realizar este procedimento.

“Acreditamos que a utilização destas tecnologias de ponta permitem uma real descentralização médica, dado que este tipo de procedimentos, fundamentais numa cardiologia moderna, não estavam disponíveis à população do Algarve”, conclui o especialista.

Num futuro próximo e continuando esta aposta na inovação, a UIC vai introduzir no seu portefólio clínico a utilização da técnica de ablação da enervação das artérias renais para o tratamento da hipertensão arterial grave e/ou resistente, que permitirá o tratamento de ainda mais doentes da região.

A Unidade de Intervenção Cardiovascular do Hospital Particular do Algarve foi criada em 2001, a partir de uma parceria entre um grupo de médicos e o Hospital Particular do Algarve, com um investimento global aproximadamente 2,5 milhões de euros. Actualmente conta com mais de 20 elementos na sua equipa, entre médicos, enfermeiros e técnicos especializados.

Comentários