Unidade de AVC dos Hospitais de Coimbra ampliada para ser “serviço de referência”

Unidade teve aumento de cinco camas para oito, há mais cinco enfermeiros e um assistente operacional
29 de outubro de 2013 - 16h08
A Unidade de AVC do Centro Hospitalar e Universitário de Coimbra (CHUC) foi ampliada e requalificada para reafirmar-se como um "serviço de excelência", a nível europeu, tendo aumento o número de camas e pessoal dentro da unidade.
José Martins Nunes, presidente do CHUC, durante a apresentação à comunicação social da unidade ampliada, hoje de manhã, considerou que o serviço de neurologia é uma das "áreas estratégicas" do centro hospitalar, afirmando que havia a necessidade de transformar a Unidade de Acidentes Vasculares Cerebrais (AVC) num "serviço de ponta".
A unidade teve um aumento de cinco camas para oito, há mais cinco enfermeiros e um assistente operacional, a zona de enfermaria também viu as suas camas aumentadas e haverá um incremento de médicos na Unidade de AVC.
Luís Cunha, diretor do Serviço de Neurologia do CHUC, afirmou que o tempo de resposta e tratamento está "ao nível das melhores unidades europeias", afirmando que a Unidade de AVC poderá ser "uma das partes de excelência do hospital".
O diretor salientou que, dos doentes que recorrem ao CHUC, cerca de 20% têm condições para efetuar o tratamento com fibrinólise endovenosa, apenas possível nas quatro horas e meia após os primeiros sintomas se observarem no doente, uma percentagem que se situa "acima de alguns países europeus e dos Estados Unidos da América".
Luís Cunha evidenciou também a aposta, nos últimos dois anos, em tratamentos "mais avançados", através da fibrinólise intra-arterial, que permite atuar para lá das quatro horas e meia que o utente tem para receber o tratamento recorrente.
Segundo o diretor, este tratamento foi feito, até agora, de forma "voluntária e em horário extra-laboral", prevendo-se que possa haver um reforço nesta terapêutica.
Em 2012, a unidade realizou 14 tratamentos por fibrinólise intra-arterial, e, durante este ano, já foram realizadas 18 intervenções.
A remodelação da única unidade especializada na região Centro teve um investimento de 60 mil euros, tendo sido possível devido "à fusão do serviço de neurologia do Centro Hospitalar de Coimbra com o serviço dos Hospitais da Universidade de Coimbra", afirmou José Martins Nunes.
Durante a apresentação da unidade remodelada, Luís Cunha, sinalizando o Dia Mundial do AVC, relembrou que nos últimos cinco anos a mortalidade por AVC "desceu em cerca de 22%" em Portugal, frisando a importância das campanhas de sensibilização para a prevenção primária de AVC e da chegada, em "tempo útil", do doente ao hospital.
Lusa
artigo do parceiro: Nuno de Noronha

Comentários