União Humanitária dos Doentes promove rastreio gratuito aos pulmões

O cancro do pulmão é a primeira causa de morte por doença oncológica em Portugal
20 de maio de 2014 - 15h01



No dia 31 de maio, das 12h00 às 18h00, a União Humanitária dos Doentes com Cancro (UHDC) assinala o Dia Mundial sem Tabaco com rastreios aos pulmões, na 1ª Feira da Saúde de Belém, nos Jardins Vasco da Gama, em Lisboa.



A UHDCpromove esta campanha de prevenção do cancro do pulmão com o objetivo de alertar a população para os malefícios do tabaco e evidenciar os efeitos nocivos que o monóxido de carbono produz sobre o organismo. A UHDC procura ainda incentivar as pessoas a não fumar e a adotar um estilo de vida saudável, como forma de contribuir para diminuir os índices de mortalidade do cancro em Portugal.



Segundo a Organização Mundial de Saúde, morrem anualmente 5,4 milhões pessoas de devido ao tabaco o que equivale a dez mil mortes por dia, aproximadamente 416 por hora.



Abraçando os lemas "O consumo do tabaco é a causa de morte que mais se pode prevenir" e "Não Fume! Por si. Pela sua família. Pela sua Saúde e pela dos que o rodeiam", Cláudia Costa, porta-voz da UHDC, refere que “deixar de fumar é a principal ação preventiva que um fumador pode ter, pois, diminui significativamente o risco de aparecimento do cancro do pulmão.”



A presença da UHDC na 1ª Feira da Saúde de Belém conta, também, com duas campanhas, uma para admissão de novos associados e voluntários e outra para inscrições no projeto de Ocupação de Tempos Livres da UHDC para jovens no verão. As inscrições podem ser realizadas no stand da Associação, nos dias 30 e 31 de maio, entre as 10h00 e as 18h00.



Cláudia Costa incentiva a população referindo que “esta é uma excelente oportunidade para todos conhecerem pessoalmente a obra da Associação e, caso tenham interesse, inscreverem-se como associados e voluntários, ou no projecto de Ocupação de Tempos Livres do verão. Este projeto, dirigido a jovens estudantes, visa proporcionar uma ocupação enriquecedora dos tempos livres dos mais novos e incentivar os valores da solidariedade”.



O rastreio é feito através do método de Smokerlyser, um aparelho de medição com bocais descartáveis, utilizado pela UHDC, que mede os níveis de monóxido de carbono nos pulmões, em apenas 45 segundos. Para efetuar o rastreio basta encher os pulmões de ar e soprar para o bocal do aparelho até os esvaziar.



Por SAPO Saúde
artigo do parceiro: Nuno Noronha

Comentários