UE aprova vacina contra estirpe mais mortífera de meningite

Taxa de mortalidade atingia os 14 por cento
22 de janeiro de 2013 – 13h01



Havia já vacinas contra os tipos A e C de meningite, mas nenhuma delas é eficaz contra as estirpes do subgrupo B, prevalentes maioritariamente em países industrializados e que podem matar em 24 horas.



O grupo farmacêutico suíço Novartis anunciou esta terça-feira que a União Europeia deu luz verde à comercialização da Bexsero, uma vacina contra o meningococo B, que está na origem de várias meningites, e autorizou a utilização da vacina em crianças com pelo menos dois meses.



A meningite, uma inflamação das películas que envolvem o cérebro e a espinal medula, atinge sobretudo adolescentes e tem uma taxa de mortalidade entre os cinco e os 14 por cento.



Muitos dos que sobrevivem à doença ficam com danos neurológicos para toda a vida. Havia já vacinas contra os tipos A e C de meningite, mas nenhuma delas é eficaz contra as estirpes do subgrupo B, prevalentes maioritariamente em países industrializados.



A infeção causada pelo meningococo B é difícil de diagnosticar e pode matar em 24 horas ou deixar sequelas graves. O risco de infeção é maior em recém-nascidos.



O parlamento português aprovou no dia 11, por unanimidade, uma recomendação do CDS-PP para que o Governo estude a inclusão da vacina pneumocócica no plano nacional de vacinação. No projeto de resolução, o CDS-PP argumentava que o facto de cada uma das três tomas da vacina custar 70 euros criava uma "injustiça social", ao torná-la apenas acessível a crianças de famílias com mais recursos financeiros.



SAPO Saúde com Lusa
artigo do parceiro: Nuno Noronha

Comentários