Tudo a postos para responder ao tempo frio

As unidades de saúde da região Centro já elaboraram os seus planos de contingência específicos para responderem às necessidades suscitadas pelo tempo frio, anunciou a Administração Regional de Saúde do Centro (ARSC).
créditos: NUNO ANDRÉ FERREIRA/LUSA

“Todas as unidades de saúde da região Centro elaboraram já o respetivo Plano de Contingência Específico, o que vai permitir adequar, com eficácia, a resposta dos serviços às necessidades em benefício dos utentes e dos profissionais de saúde” que o inverno venha a provocar, afirma a ARSC.

Os planos específicos dos diferentes estabelecimentos (hospitais e unidades de cuidados de saúde primários) e delegados de saúde fazem parte do Plano de Contingência para Temperaturas Extremas Adversas (PCTAE) – Módulo Frio, que incide no período de outono e inverno e tem início em novembro.

O PCTAE tem como objetivo “minimizar os efeitos negativos dos períodos de frio intenso sobre as populações, pelo que a interligação efetiva entre os cuidados de saúde primários e as unidades hospitalares assume papel preponderante”, salienta a ARSC, numa nota hoje divulgada, após a realização de uma reunião para tratar do assunto.

Na reunião participaram responsáveis da área hospitalar e dos cuidados de saúde primários, delegados de Saúde e o conselho diretivo da ARSC, que engloba os distritos de Castelo Branco, de Coimbra e da Guarda e parte das áreas dos distritos de Aveiro, de Leiria e de Viseu, abrangendo uma população superior a 1,7 milhões de pessoas.

O Plano de Contingência, que é da responsabilidade da Direção-Geral de Saúde, é “operacionalizado, a nível regional, através de um conjunto de medidas de atuação, coordenadas pelo Departamento de Saúde Pública da ARSC e asseguradas pelos hospitais e agrupamentos de centros de saúde”.

artigo do parceiro: Nuno Noronha

Comentários