Três pessoas hospitalizadas por botulismo, mais dois sob suspeita

Três casos confirmados de botulismo e dois a aguardar confirmação laboratorial é o mais recente balanço da Direção Geral da Saúde (DGS) sobre esta doença.
créditos: LUSA

Isabel Marinho Falcão, da Unidade de Apoio às Emergências de Saúde Pública da DGS, disse à agência Lusa que as cinco pessoas estão hospitalizadas e a evoluir favoravelmente.

Dos cinco casos, três têm a doença confirmada, enquanto as restantes duas ainda aguardam confirmação laboratorial, a cargo do Instituto Nacional de Saúde Dr. Ricardo Jorge (INSA), a qual deverá ser conhecida “nos próximos dias”.

No sábado, um comunicado conjunto da DGS, da Direção-Geral de Alimentação e Veterinária, da Autoridade de Segurança Alimentar e Económica e do INSA revelou que “a origem destes casos de doença está associada à ingestão de produtos alimentares fumados (alheiras) comercializados apenas com a marca comercial Origem Transmontana”.

Por esta razão, foi determinada a “retirada imediata dos produtos à base de carne e dos queijos, da marca comercial Origem Transmontana, dos circuitos de distribuição e comercialização”.

Os três casos já confirmados de botulismo alimentar registados no mês de setembro em Portugal são superiores ao número de situações registadas em todo o ano de 2013 ou de 2012, segundo dados da Direção-geral da Saúde (DGS).

O botulismo alimentar é uma doença grave de evolução aguda e é desde 1999 de declaração obrigatória em Portugal, tendo-se registado até 2013 menos de uma centena de casos.

artigo do parceiro: Nuno Noronha

Comentários