Teste para detetar Alzheimer ganha prémio de inovação em saúde

Teste desenvolvido por universidades norte-americanas
13 de março de 2013 - 17h17



Um novo teste que permite diagnosticar a doença de Alzheimer antes de aparecerem sintomas ganhou na terça-feira o prémio de inovação em saúde do festival South by Southwest a decorrer em Austin, nos Estados Unidos.



“O Neurotrack permite detetar o Alzheimer, através de um teste informático do movimento dos olhos, seis anos antes do aparecimento dos sintomas”, afirmou Elli Kaplan, diretora-geral da empresa que desenvolveu a tecnologia, citada pela agência France Presse.



Kaplan, que alega que o seu teste de rastreio tem 100 por cento de sucesso, realçou a importância do Neurotrack.



“Atualmente, o Alzheimer só é detetado quando se manifestam todos os sintomas”, numa altura em que “já se registaram danos irreparáveis”, disse.



A tecnologia estará inicialmente disponível para os laboratórios farmacêuticos e depois para os médicos e os hospitais, esperando Kaplan que possam vir a ser desenvolvidas aplicações para telemóveis e tabeletes.



O teste, desenvolvido em cooperação com a Universidade de Emory em Atlanta, existe em duas versões: uma que funciona com uma câmara de infravermelhos e outra com um simples rato de computador.



O sujeito ao rastreio deve comparar imagens – novas e já vistas - que aparecem brevemente num ecrã.



“Ao estudar o modo como as pessoas mexem os olhos e como olham para as novas imagens em comparação com as imagens familiares podemos detetar perturbações que existem no funcionamento do hipocampo”, a parte do cérebro que desempenha um papel central na memória, explicou Kaplan.



O projeto, lançado há 20 anos, foi alvo de um vasto teste realizado na Universidade de Emory, que analisou a evolução dos participantes durante um longo período de tempo, adiantou.



Lusa
artigo do parceiro: Nuno Noronha

Comentários