"Templus" é português e é o primeiro gin biológico da Península Ibérica

Gin é feito de forma artesanal, com barricas para fermentação e alambiques de cobre para destilação

19 de outubro de 2013 - 07h26

O primeiro gin biológico da Península Ibérica e o sexto do mundo está a ser produzido por uma empresa de Évora, que aposta na produção biológica e artesanal para se diferenciar e conquistar o mercado.

Na fábrica da empresa 3Bicos, na periferia de Évora, produz-se gin e vários licores, como o de poejo e o de romã, recorrendo a técnicas artesanais, mas o "segredo" está na utilização de apenas produtos biológicos.

"Todos os ingredientes são biológicos", afiança à agência Lusa João Monteiro, relações públicas da empresa, referindo que tanto as ervas aromáticas como os cereais maltados para a produção da aguardente "são certificados biologicamente".

Além disso, acrescenta que todo o processo de produção do gin "é feito de forma artesanal", com recurso a barricas para a fermentação dos cereais maltados e a alambiques de cobre para a destilação do gin.

"A única máquina é a de enchimento das garrafas", porque o resto "é feito artesanalmente, até o próprio arrolhamento da garrafa é feito à mão", conta o responsável.

Gin: saudável e está na moda


Perante as "particularidades" da bebida, não tem dúvidas em afirmar que o facto de ser biológico, que "é saudável e está na moda", vai "diferenciar este gin de tantos milhares de gin's espalhados por esse mundo fora".

"É o primeiro gin biológico português e da Península Ibérica e o sexto do mundo. É a diferenciação do nosso gin para todos os outros", realça João Monteiro, assinalando que a fábrica é também "a única destilaria não vínica existente em Portugal".

Para a produção do gin, a técnica da empresa Cláudia Cascalho revela que se faz "a fermentação do cereal" em barricas, seguindo-se três destilações, sendo que a última inclui a colocação das "essências do gin" no alambique.

"São ervas aromáticas, tudo produtos biológicos. A base do gin é o zimbro", mas a receita inclui "o poejo e a hortelã da ribeira, entre outras", desvenda.

O gin "Templus", cujo nome lhe foi atribuído em "homenagem ao Templo Romano" de Évora, já pode ser consumido em bares e hotéis da cidade e está à venda em lojas "gourmet" em vários pontos do país.

No entanto, o objetivo da empresa, segundo o responsável, é fazer chegar o gin alentejano "a toda a parte do mundo", mas "sempre em pequenas quantidades" para não massificar o produto e manter a qualidade.

De Espanha, um dos maiores consumidores de gin do mundo, já chegou "um contacto" para a compra da bebida, estando a empresa de Évora à espera de uma resposta para a encomenda.

A 3Bicos está ainda a desenvolver testes e ensaios para a produção de uma vodka, para uma outra empresa, e prevê começar a produzir, a curto prazo, o primeiro whisky português.

SAPO Saúde com Lusa

artigo do parceiro: Nuno Noronha

Comentários