SIDA/donativos: Liga leva a cabo terceira exposição solidária com unidade móvel em vista

Os donativos são cada vez menos, mas as necessidades cada vez maiores, alerta a Liga Portuguesa Contra a SIDA, que organiza uma exposição a partir de hoje e espera conseguir fundos necessários para a compra de uma unidade móvel.

A exposição "20 contra a SIDA" - a terceira organizada pela Liga Portuguesa contra a SIDA - é inaugurada hoje ao final da tarde, na Galeria Torreão Nascente da Cordoaria Nacional, em Lisboa, e traz obras de artistas consagrados, mas também de novos valores, explicou à Lusa a presidente da Liga Portuguesa Contra a SIDA (LPCS), Eugénia Saraiva.

A iniciativa serve para comemorar os vinte anos de existência da Liga Portuguesa Contra a SIDA, mas também os vinte anos de funcionamento da linha SOS SIDA.

“O objetivo é colocar na agenda de todos nós esta palavra SIDA que ainda é para muitos mais do que um vírus doença é um vírus social e queremos chamar a atenção das pessoas de que a SIDA continua a existir”, apontou Eugénia Saraiva.

A presidente da LPCS sublinhou que apesar de o país viver uma situação de contenção é importante que as pessoas tomem consciência que associações como esta vivem de donativos e sem eles não conseguem levar a cabo o seu trabalho junto das populações alvo.

“Os donativos nesta altura escasseiam, são cada vez menores, mas a procura dos nossos serviços cada vez é maior porque são serviços totalmente gratuitos e confidenciais. As pessoas que sentem vergonha e têm uma pobreza envergonhada, sentem-se à vontade para vir à Liga usufruir desses serviços”, alertou a presidente.

A responsável adiantou que com esta exposição a Liga espera conseguir angariar os fundos necessários à aquisição de uma unidade móvel, um objetivo antigo que ainda não foi alcançado porque os donativos escasseiam. Na primeira exposição, em 2009, a instituição reuniu cerca de cinco mil euros e em 2010 apenas mil. Para adquirir a unidade móvel serão precisos cerca de 40 mil euros.

“Eu acredito na solidariedade que ainda existe em Portugal e que vamos conseguir atingir os objetivos e comprar a nossa unidade móvel para assim concretizarmos as nossas valências, as nossas respostas sociais”, sublinhou.

A ajuda à liga pode surgir tanto através da aquisição, durante a exposição, de obras de arte, com metade do valor a reverter para a associação, como através de donativos individuais ou da inscrição como sócio.

Na exposição vão estar patentes peças de pintura, escultura, cerâmica e artes plásticas de nomes como João Cutileiro, Cargaleiro ou Nadir Afonso, mas também de Aida Sousa Dias, Alba Simões, Anna Westerlund, Carlos Mendes, Eduardo Nery, Filipa Saragga, Graça Morais, Hugo Lopes, Isabel da Sousa Pinto, Jaime Lopez, João Feijó, José Dominguez, José Rodrigues, Júlio Pomar, Júlio Quaresma, Júlio Resende, Malangatana, Manuel, Onik Saharian, Paulo Óscar, Rui Filipe Lopes, Sofia Areal, Teresa Frazão, Vasco D’Orey Bobone, Joana Vasconcelos e Pedro Cabrita Reis.

Os cantores Aurea e Mário Dias irão entreter os convidados na inauguração desta exposição que estará patente até dia 15 deste mês.

07 de julho de 2011

Fonte: Lusa

Comentários