Risco extremo de exposição a raios UV no Funchal e muito alto no resto do país

O "risco extremo" assinalado pelo IPMA para o Funchal é o mais perigoso para a saúde
28 de junho de 2013 - 09h37



O Funchal, na Madeira, apresenta hoje um "risco extremo" de exposição aos raios ultravioleta (UV), enquanto o resto do país está em risco "muito alto", informa o site do Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA).



O "risco extremo" assinalado pelo IPMA para o Funchal é o mais perigoso para a saúde, sendo aconselhado, por isso, que se evite "o mais possível a exposição ao Sol".



Também o "risco muito alto" de exposição à radiação ultravioleta ultrapassa os níveis de segurança, sendo recomendado que se utilize óculos de Sol com filtro UV, chapéu, t-shirt, guarda-sol, protetor solar e se evite a exposição das crianças ao Sol.



De acordo com o instituto, "se a quantidade de radiação ultravioleta exceder os limites a partir dos quais os mecanismos de defesa, inerentes a cada espécie, se tornam ineficazes, poderão ser causados graves danos a nível biológico, facto que também se aplica ao organismo humano e em particular aos órgãos da pele e da visão".



O índice desta radiação apresenta cinco níveis, entre o “baixo” e o “extremo”, sendo o máximo o 11.



O IPMA prevê para hoje céu geralmente limpo e vento fraco a moderado no continente e céu nublado no Porto Santo e nas vertentes norte da Madeira até ao final da manhã.



Nos Açores, o céu estará nublado, com boas abertas em todas as ilhas, com vento moderado.



As temperaturas deverão chegar aos 32 graus Celsius no Porto, 34º em Lisboa, 28º em Faro, 25º no Funchal, 22º em Santa Cruz das Flores, Horta e Ponta Delgada e 21º em Angra do Heroísmo.



Lusa
artigo do parceiro: Nuno Noronha

Comentários