Redução de horas extra na saúde deve poupar 45 milhões de euros ao Estado

Medida de diminuição das horas extra constava já do memorando de entendimento da Troika
16 de abril de 2013 - 10h16



O Ministério da Saúde estima poupar este ano cerca de 45 milhões de euros com a redução de custos com horas extraordinárias que foi imposta por um despacho hoje publicado, segundo dados oficiais.



O despacho publicado hoje em Diário da República visa atingir este ano uma redução de pelo menos 20% nos custos glocais com trabalho extraordinário em cada unidade do Serviço Nacional de Saúde (SNS).



Segundo estimativas oficiais do Ministério da Saúde divulgadas à agência Lusa, a poupança a atingir deverá ser de 45 milhões de euros.



Esta medida de diminuição das horas extraordinária constava já do memorando de entendimento assinado com a ‘troika’ (Comissão Europeia, Banco Central Europeu e Fundo Monetário Internacional) e esteve em vigor também em 2012.



De acordo com os dados oficiais do Ministério, no ano passado, o SNS gastou com horas extraordinárias 242 milhões de euros, tendo atingido uma redução de 17% em relação ao ano anterior.



Segundo o despacho hoje publicado em Diário da República, os hospitais têm de reduzir este ano em 20% os custos com os pagamentos em horas extraordinárias, enquanto os centros de saúde terão de cumprir uma redução de 15%.



Uma diminuição maior, de 25%, terá de acontecer no caso das unidades hospitalares que tiveram reduções acumuladas inferiores a 25% no período de 2011 e 2012 em comparação com o ano de 2010.



Segundo os dados do Ministério da Saúde divulgados à Lusa, são 21 as unidades hospitalares nesta situação, ou seja, que têm de reduzir em um quarto o que gastam com pagamentos de trabalho extraordinário.



Lusa
artigo do parceiro: Nuno Noronha

Comentários