Recolha de pilhas usadas permitiu doar aparelhos de diagnóstico ao IPO

Dois equipamentos de videoendoscopia portátil foram hoje doados ao IPO de Lisboa
15 de janeiro de 2014 - 11h25



A recolha de mais de quatro milhões de pilhas e baterias usadas permitiu à Ecopilhas doar ao Instituto Português de Oncologia (IPO) dois equipamentos de diagnóstico para ajudar a avaliação de tumores, revelou o promotor da iniciativa.



O 5.º Peditório Nacional de Pilhas e Baterias Usadas mobilizou cidadãos e instituições que depositaram aquele resíduo nos Pilhões e, assim, contribuíram para a luta contra o cancro.



Os dois equipamentos de videoendoscopia portátil foram hoje doados ao IPO de Lisboa, numa cerimónia que contou com a presença do apresentador de televisão José Carlos Malato, embaixador do Peditório.



Além de permitir ajudar o IPO, a reciclagem de pilhas e baterias em final de vida evita a deposição na natureza de metais pesados nocivos para o ambiente como o cádmio, o chumbo e o mercúrio.



Os aparelhos de videoendoscopia portátil, com gravação de imagem e processamento de dados, serão usados nas consultas de Otorrinolaringologia e de Urologia e também no Bloco Operatório.



"Estes equipamentos desempenham um importante papel na avaliação dos tumores das vias aéreas digestivas superiores, na avaliação do carcinoma do colo do útero em doentes irradiadas e patologia da bexiga e próstata, tornando-se num meio de observação dos resultados dos tratamentos efetuados", explica a Ecopilhas.



Lusa
artigo do parceiro: Nuno Noronha

Comentários