Quatro doentes internados com legionella no Hospital das Forças Armadas

Três militares e uma familiar de um elemento da GNR estão internados no Hospital das Forças Armadas (HFAR), em Lisboa, infetados com a bactéria ‘legionella’, afirmou à Lusa fonte das Forças Armadas.
créditos: MARIO CRUZ/LUSA

O porta-voz do Estado-Maior General das Forças Armadas (EMGFA), Rui Silva, precisou tratar-se de dois militares da Marinha, um do Exército e uma familiar de um agente da GNR, todos residentes na área de Vila Franca de Xira.

A “situação mais complexa” é de um militar, com 49 anos, “sem patologia associada” e que está ligado a um ventilador, nos cuidados intensivos. A mesma fonte referiu que o “prognóstico é reservado, com a situação clínica estável”.

Um dos doentes chegou ao HFAR por encaminhamento do hospital de Vila Franca de Xira, enquanto outros três contactaram diretamente as instalações hospitalares das Forças Armadas.

Rui Silva indicou que até ao momento o HFAR não recebeu qualquer doente do Serviço Nacional de Saúde, mas a instituição está em “estreita coordenação com a Direção Geral de Saúde” e disponível, caso seja necessário, para receber infetados com ‘legionella’.

A ‘legionella’, que provoca pneumonias graves e pode ser mortal, foi detetada na sexta-feira, no concelho de Vila Franca de Xira, tendo provocado já 302 casos de infeção. Estão confirmadas cinco mortes enquanto quatro óbitos estão em investigação.

Num comunicado com a situação atualizada até às 15h00 de quarta-feira, a Direção-Geral da Saúde (DGS) fala em nove mortes, explicando que cinco deles morreram de facto devido à ‘legionella’ e que os outros quatro permanecem em investigação.

Comentários