Psoríase nas crianças pode originar problemas mais graves

PSOPortugal alerta para impacto psicológico da doença

18 de agosto de 2014 - 13h01

A psoríase é uma doença que afeta igualmente adultos e crianças. No caso das crianças, a psoríase pode afetar gravemente o seu desenvolvimento, já que para além de terem que aprender a lidar com a doença, as crianças são frequentemente alvo de discriminação social junto dos colegas e amigos, alerta a Associação Portuguesa de Psoríase – PSOPortugal.

De acordo com Paulo Ferreira, dermatologista, “além do profundo impacto psicológico da doença, a criança com psoríase pode ainda desenvolver doenças metabólicas, tal como acontece nos adultos, pelo que é fundamental que os pais façam um acompanhamento constante, de modo a evitar problemas, como o excesso de peso”. Os pais e educadores têm um papel fundamental neste aspecto, “tentando que as crianças com psoríase não compensem o stress emocional com a ingestão de alimentos”.

A criança com excesso de peso torna-se mais resistente ao tratamento e, além disso, a psoríase tende a agravar-se nas chamadas “pregas” da pele.

E acrescenta, “o diagnóstico da psoríase nas crianças nem sempre é fácil, pois a doença tende a apresentar formas atípicas muito semelhantes a determinadas dermatoses infantis e que afetam áreas igualmente idênticas”.

O dermatologista refere ainda que “o diagnóstico precoce da doença é muito importante para as crianças para que possam beneficiar dos tratamentos adequados, evitando o prurido que origina o agravamento da lesão cutânea causada pela doença”.

Resultante de uma predisposição genética específica, a psoríase infantil pode surgir devido a fatores ambientais ou externos. A mudança de estação, a fricção causada pela roupa na pele, o stress ou reações adversas a medicamentos são alguns dos fatores que podem provocar a doença. As infeções bacterianas, nomeadamente estreptocócicas, da orofaringe, bem como as viroses sazonais, também são responsáveis pelo aparecimento da psoríase na infância e adolescência.

O aparecimento da psoríase durante a infância não significa, obrigatoriamente, que os sintomas se vão continuar manifestar na idade adulta. Ainda assim, e tendo em conta a natureza crónica da doença, é possível que as crises persistam durante toda a vida.

A psoríase é uma doença autoimune que se manifesta no nosso maior órgão – a pele, não sendo contagiosa, é crónica e pode surgir em qualquer idade. O seu aspeto, extensão, evolução e gravidade são variáveis, caracterizando-se pelo aparecimento de lesões vermelhas, espessas e descamativas, que afetam sobretudo os cotovelos, joelhos, região lombar, couro cabeludo e unhas. Cerca de 10 por cento dos doentes acabam por desenvolver artrite psoriática. Em Portugal, esta doença afeta mais de 250 mil pessoas e cerca de 125 milhões em todo o mundo.

A PSOPortugal, entidade com nove anos de existência, constituída em 2005, tem vindo a defender, apoiar e dar voz aos doentes de psoríase. E também a alertar e sensibilizar a sociedade para a discriminação social e profissional de que são alvo os cerca de 250 mil portugueses que sofrem de psoríase.

Por SAPO Saúde

artigo do parceiro: Nuno Noronha

Comentários