Psicólogos pedem à população para estar atenta a sinais de suicídio

O bastonário da Ordem dos Psicólogos apelou hoje à população para estar atenta aos sinais de alerta do suicídio para poder ajudar quem está em risco, lembrando que há intervenções terapêuticas que podem evitar mais de metade dos casos.
créditos: AFP/JOEL SAGET

“Hoje em dia temos formas de intervenção terapêutica que, em alguns casos, podem reduzir os suicídios futuros em mais 50%”, disse Telmo Mourinho Baptista, que falava à agência Lusa a propósito do Dia Mundial da Prevenção do Suicídio, que se assinala na quinta-feira e tem esta ano como tema “Chegar mais próximo e Salvar Vidas”.

Mas, defendeu o bastonário, para prevenir estas situações é necessário esclarecer a população sobre “os sintomas e os sinais” que podem levar ao suicídio.

“Devemos ter várias formas de mobilização da sociedade e, sobretudo, várias formas de intervenção, seja no esclarecimento da população sobre os sintomas e os sinais que possam aparecer, seja nas respostas de proximidade para as pessoas”, explicou.

Estas respostas de proximidade podem ser asseguradas por linhas telefónicas de apoio, mas também nos cuidados de saúde, disse Telmo Mourinho Baptista.

Falta de informação

Contudo, muitas vezes as pessoas não dão sinais exteriores de que estão doentes e não recorrem aos cuidados de saúde. Para o bastonário, esta situação deve ser combatida com campanhas que deem mais conhecimento às pessoas sobre esta realidade para que possam auxiliar o doente.

“Há alterações de comportamento e de humor que são significativas e que permitem que se diga às pessoas para consultarem os profissionais de saúde para que possam ter um melhor nível de cuidados”, frisou.

Comentários