Portugueses no Canadá mobilizam-se para ajudar lusodescendente em transplante de medula

A comunidade portuguesa residente na província do Ontário, sul do Canadá, está a mobilizar-se para ajudar um lusodescendente a conseguir um transplante de células estaminais.
créditos: AFP

"A comunidade portuguesa de Kitchener e cidades vizinhas está a ajudar bastante, inclusivé nos vários locais onde têm sido feitos os testes de compatibilidade, a afluência foi tanta que os 'kits' de teste esgotaram", disse à Lusa Cristina Walker, amiga da família.

John Divo, de 20 anos, necessita urgentemente de um transplante de células estaminais que, segundo os médicos, deverá ser efectuada até janeiro de 2015.

A doença, uma leucemia de linfóide aguda (LLA), foi-lhe diagnosticada em dezembro de 2013 na sequência de uma avaliação efetuada pelos serviços médicos do clube de hóquei no gelo que o jovem lusodescendente representa.

A mãe, Fátima Rapinha, emigrante proveniente do Pico, nos Açores, explicou que com o tratamento de quimioterapia, John Divo estava a recuperar, mas no passado dia 13 de novembro "foram-lhe detetadas células cancerígenas no sistema central nervoso", um diagnóstico que piorou o quaxdro clínico e que motivou a onda de solidariedade em prol de um transplante de células estaminais.

"Agora é urgente transfusão de células estaminais que os médicos aconselham que deve ser feita até janeiro de 2015. Os dadores devem ter entre 17 a 35 anos de idade, e o teste é simples: é através de um aparelho que analisa a compatibilidade através da saliva", acrescentou.

John Divo, que já esteve presente em alguns locais onde se efetuaram testes para divulgar a sua situação e sensibilizar para a realização de testes, está a receber tratamento em dois centros na luta contra o cancro, o Juravinski Cancer Center, em Hamilton, e no Grand River Cancer Center, em Kitchener, onde reside.

O lusodescendente iniciou no passado dia 09 o tratamento de radioterapia, que deverá ficar concluído na véspera do Natal.

Comentários