Português distinguido por dispositivo eficaz no diagnóstico de doenças

Distinguido nos Estados Unidos por antenas para micro dispositivos implantáveis no corpo humano

11 de outubro de 2013 - 15h20

Um investigador da Universidade do Minho foi distinguido com o Melhor Poster num simpósio internacional nos Estados Unidos ao apresentar antenas para micro dispositivos implantáveis no corpo humano que permitem intervir rápida e eficazmente no diagnóstico e tratamento de doenças.

Em comunicado enviado hoje à agência Lusa, a Universidade do Minho (UMinho) explica que o prémio atribuído Paulo Anacleto, investigador do Centro Algoritimi da Universidade do Minho (UMinho), foi entregue no âmbito do certame "Microsystems Technology: Fulfilling the Promise", em Gaithersburg, no qual o português apresentou a investigação "3D Self-Folding Micro-Antennas".

Paulo Anacleto está a desenvolver antenas para micro dispositivos médicos implantáveis em órgãos do corpo humano, o que permitirá ao paciente e ao médico terem acesso imediato a parâmetros fisiológicos e cardíacos, através do telemóvel ou computador.

"Estas micro antenas cabem num cubo com 0,5 milímetros de aresta e poderão ser integradas no sistema de comunicação entre o dispositivo médico implantado e um dispositivo externo com capacidade para receber sinais de radiofrequência", explica Anacleto.

Os dados recolhidos, adianta o comunicado, "serão enviados automaticamente para o telemóvel/computador do paciente e do médico disponível nas urgências, permitindo uma intervenção rápida e eficaz, tanto no diagnóstico como também no tratamento do problema de saúde".

Segundo o investigador, "existem já dispositivos implantáveis capazes de monitorizar parâmetros fisiológicos importantes, mas este distingue-se principalmente pelo facto de conseguir comunicar sem fios".

A instituição minhota explica ainda que estas antenas resultam da "combinação de várias técnicas de microfabrico, nomeadamente a litografia para a produção da estrutura e a ‘self-folding’ para o acabamento".

A médio prazo, aponta o texto, "as micro antenas poderão ser utilizadas no setor das tecnologias de informação e comunicação".

O investigador Paulo Anacleto está a desenvolver o doutoramento em Engenharia Biomédica na UMinho.

SAPO Saúde com Lusa

artigo do parceiro: Nuno de Noronha

Comentários