Plataforma Oncológica que vai permitir mais investigação e melhor diagnóstico lançada hoje no Porto

Projeto tem sede no IPO do Porto que recebe anualmente cerca de 10 mil novos doentes
17 de abril de 2013 - 09h39



Oito instituições de saúde e de investigação formalizam hoje a constituição da Plataforma Oncológica do Porto que visa melhorar a qualidade do diagnóstico e tratamento dos doentes com cancro.



“O grande objetivo é procurar e dar origem a novos projetos. Cada vez mais, nomeadamente a nível comunitário, não são permitidos investimentos e projetos de uma só instituição. Normalmente querem projetos colaborativos, querem grande dimensão no número de investigadores, querem um número grande de doentes. Por isso, é muito importante associarmo-nos e partilhar oportunidades”, explicou à Lusa o presidente do IPO/Porto, Laranja Pontes.



A nova estrutura é constituída pelo IPO/Porto, Instituto de Patologia e Imunologia Molecular (Ipatimup), Instituto de Ciências Abel Salazar (ICBAS), Instituto de Biologia Molecular e Celular (IBMC), Hospital S. João, Centro Hospitalar do Porto, Faculdade de Medicina do Porto e Instituto de Engenharia Biomédica (INEB).



“É uma rede virtual, não implica nenhuma despesa, é aquilo que temos de fazer nesta altura de crise, ou seja, sermos criativos e pró-ativos. E esse é o grande objetivo, criar novas oportunidades, fazer com que quatro mais quatro não sejam oito, mas sejam pelo menos dez”, referiu Laranja Pontes.



Com sede inicial no IPO, a nova estrutura tem uma comissão executiva constituída por todos os diretores das instituições, que trimestralmente se reunirá, e terá um conselho consultivo que se reunirá pelo menos uma vez por ano para “definir linhas e fazer balanços”.



“O que nos queremos desenvolver são projetos colaborativos que podem incluir todos os parceiros de uma vez ou apenas alguns. A arquitetura será sempre dimensionável à oportunidade que possa aparecer de investigação”, acrescentou.



IPO com novos projetos



A apresentação e formalização desta plataforma decorre no âmbito da celebração do 37.º aniversário do IPO/Porto, que incluirá também a apresentação dos resultados relativos a 2012 e o anúncio de novos projetos de investigação na área do cancro que este ano serão financiados pelo instituto.



Na constituição oficial da Plataforma Oncológica do Porto e na assinatura do respetivo protocolo, agendados para as 12h30, estarão representantes das instituições parceiras.



O IPO do Porto recebe anualmente cerca de 10 mil novos utentes.



Lusa
artigo do parceiro: Nuno Noronha

Comentários