Pioneiros do curso de medicina em Cabo Verde destacam vantagens de estudar no país

Os pioneiros do curso de medicina em Cabo Verde destacaram as vantagens de estudar no país e, ao terminar, enquanto uns preferem trabalhar fora, outros querem ficar e dar o seu contributo para desenvolver a área médica.

O primeiro Mestrado Integrado em Medicina, com a duração de seis anos, é uma iniciativa conjunta das universidades de Cabo Verde (UNI-CV) e de Coimbra (UC), e os estudantes terão a vantagem de ficar no arquipélago, perto dos familiares e amigos e poupar dinheiro.

"Tive a oportunidade de estudar fora, mas analisando as vantagens de estudar em Cabo Verde, acabei por preferir fazer medicina no país", disse à Lusa Helena Oliveira, 17 anos, natural da ilha de Santo Antão, mas que fez o ensino secundário na ilha do Fogo.

"Fica mais fácil para os estudantes fazer medicina cá em vez de ir ao exterior. Aqui já estou perto dos familiares. Qualquer problema eu posso resolvê-lo aqui mesmo", mostrou.

Sobre a motivação para entrar na licenciatura, enquanto Adélio Frederico disse que foi o facto de ter um irmão que é urologista, Vera Rodrigues indicou que se inspirou em familiares que estudaram medicina fora de Cabo Verde.

"Escolhi o curso de medicina porque desde pequena é o meu grande sonho e sempre tiver a esperança que algum dia pudesse ingressar neste curso aqui no meu país", sustentou Vera Rodrigues, 19 anos, natural do concelho do Tarrafal de Santiago.

"Sinto-me muito especial por ser a primeira edição, nós já entramos para a história da medicina de Cabo Verde e, com certeza, trabalharemos para que seja um sucesso para todo o país", prosseguiu a estudante.

"Comecei a gostar do curso de medicina, sempre que fosse possível mexia nos livros do meu irmão, achei que era interessante", completou Adélio Frederico, 18 anos, natural de São Domingos.

Ver artigo completo

Comentários