Pílula anticoncepcional causa 23 mortes no Canadá

Em França, um processo judicial semelhante envolveu a pílula Diane 35, também produzida pela Bayer
11 de junho de 2013 - 15h55



Pelo menos 23 mulheres canadianas que tomaram pílulas anticoncepcionais de consumo frequente morreram, na sua maioria devido a coágulos no sangue, de acordo com documentos do ministério da Saúde, informou esta terça-feira a rede de televisão CBC.



Os médicos e farmacêuticos, que são obrigados a notificar as reações adversas aos medicamentos, suspeitam que as pílulas Yaz e Yasmin do laboratório alemão Bayer foram as causadoras destas mortes, acrescentou a Canadian Broadcasting Corporation.



Centenas de mulheres podem ter sofrido os efeitos nocivos destes fármacos, alega advogado que apresentou um recurso coletivo, cita a estação de televisão.



Há registo de milhares de ações apresentadas contra a Bayer, em particular nos Estados Unidos.



A Agência Americana de Alimentos e Medicamentos (FDA) lançou em abril de 2012 uma advertência de que estas pílulas poderiam estar "ligadas a um risco maior de coágulos no sangue" e que esta informação deveria aparecer na bula que acompanha o fármaco.



A Agência Europeia de Medicamentos também fez uma advertência similar em 2011.



As pílulas Yaz e Yasmin da Bayer estão entre as mais vendidas. Contêm drospirenona combinada com etinil estradiol, um estrogénio comum nos contraceptivos orais.



Lusa
artigo do parceiro: Nuno Noronha

Comentários