Picadas de inseto, de peixe-aranha e queimaduras. Postos de saúde a todo o gás no Algarve

Durante o mês de julho, foram realizados 2.413 atendimentos nos 32 postos de saúde de praia que no verão funcionam ao longo da costa algarvia, informou hoje a Administração Regional de Saúde (ARS) do Algarve.
créditos: Lusa

Em comunicado, a ARS/Algarve adiantou que, do total de atendimentos, 1.315 atendimentos foram para tratamentos, suturas e queimaduras solares, 378 devido a picadas de peixe-aranha e insetos, 437 para medições de pressão arterial, 109 para administrar injeções e 143 para realizar testes de glicemia, tendo sido registados neste período 31 encaminhamentos para outras unidades de saúde.

Em julho, 66,8% dos cidadãos atendidos nos postos de saúde de praia não eram residentes no Algarve (50,8% eram residentes noutras regiões do país e 16% estrangeiros) e os restantes 33,2% eram residentes no distrito de Faro, percentagens que se justificam dado o elevado número de turistas nesta época, refere a ARS.

Os postos com maior número de atendimentos em julho foram os de Armação de Pêra, em Silves, da Ilha da Culatra, em Faro, e Ilha da Armona, em Olhão.

32 postos em toda a costa do Algarve

Os 32 postos disponibilizados ao longo da costa algarvia resultam de uma colaboração da ARS/Algarve com a Cruz Vermelha Portuguesa, no âmbito do Plano de Verão 2017.

Com um horário de atendimento entre as 10:00 e as 19:00, os postos têm como objetivo assegurar cuidados de saúde de enfermagem e dar resposta a situações clínicas que possam ser tratadas no local, ou, em caso de necessidade, encaminhar o utente para uma unidade de saúde mais adequada. Os 32 postos irão manter-se em funcionamento até ao dia 17 de setembro.

Veja ainda: Já é possível mergulhar na única praia no meio de Lisboa

artigo do parceiro: Nuno de Noronha

Comentários