Perturbações mentais são ignoradas nos idosos

Tristeza, ansiedade, insónia, alterações de memória e do comportamento são alguns dos sintomas recorrentes em pessoas com mais de 65 anos e que são, muitas vezes, associados ao envelhecimento, uma realidade que atrasa o diagnóstico das doenças psiquiátricas.
créditos: NUNO ANDRÉ FERREIRA/LUSA

"Apesar de frequentes, os problemas de saúde mental dos idosos não estão devidamente identificados, sendo muitas vezes associados ao processo natural de envelhecimento. Na consulta de Psiquiatria Geriátrica conseguimos assegurar o diagnóstico precoce das múltiplas patologias psiquiátricas nos idosos, como a depressão, ansiedade, demência, doença bipolar e esquizofrenia de início tardio", revela Ana Peixinho, coordenadora da Unidade de Psiquiatria e Psicologia do Hospital Lusíadas Lisboa.

"A consulta garante uma abordagem compreensiva desde o diagnóstico até ao tratamento destas doenças e foca-se em ouvir e responder às preocupações das pessoas com mais de 65 anos, ajudar as suas famílias e, quando necessário, trabalhar em articulação com outros profissionais de saúde de forma a disponibilizar um acompanhamento efetivo durante todo o processo", explica Ricardo Coentre, psiquiatra responsável pela consulta de Psiquiatria Geriátrica.

A elevada prevalência das doenças psiquiátricas associadas ao envelhecimento, a existência de co morbilidades físicas, a polimedicação, o isolamento e o luto são os principais fatores indicativos de necessidade de observação e acompanhamento diferenciado. A depressão clinicamente significativa é uma doença muito frequente no idoso, afetando 10 por cento das pessoas com mais de 65 anos.

A consulta de Psiquiatria Geriátrica, integrada na Unidade de Psiquiatria e Psicologia do Hospital Lusíadas Lisboa, é um serviço especializado de diagnóstico e tratamento das doenças psiquiátricas associadas ao envelhecimento e está indicada para pessoas com idade igual ou superior a 65 anos.

artigo do parceiro: Nuno Noronha

Comentários