Penafiel acolhe primeiro centro no norte para jovens com Síndrome de Asperger

O primeiro centro de atividades ocupacionais do norte do país destinado a jovens com o Síndrome de Asperger - uma condição psicológica do espectro autista - vai começar a funcionar na segunda-feira, numa antiga escola primária de Penafiel.
créditos: EPA/PETER KOMKA

Segundo a Associação Portuguesa de Síndrome de Asperger (APSA), o novo espaço localiza-se na freguesia de Valpedre e está equipado para proporcionar atividades a jovens autistas de elevada funcionalidade.

"Estamos muito contentes com o espaço e reconhecidos à câmara de Penafiel", disse à Lusa António Sousa Vieira, diretor da delegação Norte daquela associação.

E acrescentou: "Quero agradecer ao Município de Penafiel pela cedência deste espaço e pela contribuição necessária à sua remodelação. Desde o primeiro momento acarinhou este projeto e contribuiu para a sua concretização, reforçando esta mais-valia para a região".

O equipamento vai começar a funcionar com três utentes, mas a expetativa da associação é que até ao final do ano se possa chegar aos 12.

A dificuldade atual, explicou, é que ainda não foi possível fazer protocolos com a Segurança Social, o que onera o custo do serviço. Quando tal acontecer, previu, aumentará rapidamente o número de utentes.

O centro de atividades pode acolher até 20 jovens, mas essa capacidade revelar-se-á insuficiente para as necessidades da região norte.

Por isso, assinalou o dirigente, são necessários mais equipamentos no norte, incluindo na região do Porto.

A Síndrome de Asperger é uma perturbação neuro-comportamental de base genética e pode ser definida como uma perturbação do desenvolvimento que se manifesta por alterações sobretudo na interação social, na comunicação e no comportamento. Calcula-se que em Portugal existam cerca de 40.000 portadores de Síndrome de Asperger, afetando maioritariamente os rapazes.

O centro de atividades ocupacionais de Valpedre tem uma ocupação máxima de 20 utentes, jovens e adultos, com idades superiores a 18 anos. Treino de competências pessoais e profissionais, informática, artes plásticas, natação, agricultura e jardinagem e saídas de grupo são algumas das atividades previstas para aquele equipamento.

Para Antonino de Sousa, presidente da Câmara de Penafiel, o centro constitui "um desafio que marca pela diferença e demonstra a cidadania da nossa região". "Mostramos, mais uma vez, que em Penafiel vemos a inclusão social como uma das grandes prioridades", assinalou o edil, em declarações à Lusa.

artigo do parceiro: Nuno Noronha

Comentários