Pelo menos cinco mil portugueses assinalam dia do veganismo

Há mais de 30 mil vegetarianos em Portugal, mas apenas 5 mil são também veganos
31 de outubro de 2013 - 14h09



Não comer carne, peixe, ovos ou leite, nem usar lã ou couro é uma opção de vida que já conquistou pelo menos 5 mil portugueses e cuja expansão levou ao nascimento de alguns negócios.



Uma comunidade em crescimento, que, em véspera do Dia Mundial do Veganismo - opção de vida que implica não comer nem usar qualquer produto feito com base em animais –, apela a uma maior projeção da sua filosofia de vida.



Orlando Figueiredo, presidente da Associação Vegetariana Portuguesa (que representa também os veganos), garantiu hoje à agência Lusa que não pretende evangelizar ninguém, mas referiu ser necessário dar “maior visibilidade” a esta opção de vida, nem que seja para “apresentar a escolha”.



“Considero que [o dia mundial] é importante porque raramente ouvi falar [do veganismo] nos meios de comunicação”, afirmou, reconhecendo que “há muito trabalho a fazer na sua divulgação”.



Vegano já há alguns anos, Orlando Figueiredo explicou que a maioria das pessoas opta por esta forma de consumo “por compreenderem que não é ético o uso que se faz dos animais, nomeadamente na produção industrial de carne e na produção industrial de laticínios e ovos”.



Embora não existam estatísticas sobre veganos em Portugal, o presidente da Associação Vegetariana Portuguesa contabiliza pelo menos 5 mil, tendo em conta os cerca de 30 mil vegetarianos registados num estudo recente.



Um número que, segundo considerou, está a aumentar, o que é comprovado pelo facto se comercializarem cada vez mais produtos para veganos.



“As ofertas começam a ser mais abrangentes e há algumas empresas recentes como a portuguesa de calçado Nae ou a de queijos e leites vegan Gosto Natural”, exemplificou, acrescentando que essa oferta “está já a chegar ao [circuito] ‘mainstream’ [dedicado à maioria da população]”.



Embora assegure não sentir dificuldades em manter este estilo de vida, Orlando Figueiredo adiantou que a associação que preside está a trabalhar com empresas de restauração para que sejam criados menus especificamente veganos.

Comentários