Pastilhas e adesivos de nicotina podem provocar cancro, alerta estudo

Investigação norte-americana põe em causa a segurança dos produtos à base de nicotina
17 de junho de 2014 - 10h11



Os adesivos e as pastilhas de nicotina que ajudam a largar o vício do tabaco podem estar a aumentar o risco do consumidor contrair um cancro. O alerta é do Instituto de Bioinformática da Virgínia, no Estados Unidos, que estuda as propriedades da nicotina.



De acordo com os investigadores, a nicotina usada nos produtos destinados a ajudar as pessoas a deixar de fumar é altamente cancerígena.



Os cientistas descobriram milhares de mutações genéticas provocadas pela nicotina nas células expostas à substância.



A nicotina, que é um dos quatro mil químicos encontrados nos cigarros, tem sido, até aqui, vista como apenas viciante, mas esta investigação norte-americana conclui que provoca mutações no ADN das células.



A nicotina é também um dos químicos mais utilizados em produtos para ajudar a deixar o vício de fumar.



Por SAPO Saúde
artigo do parceiro: Nuno Noronha

Comentários