Passar muito tempo sentado aumenta risco de incapacidade em idosos

Norte-americanos com mais de 60 anos são sedentários cerca de dois terços do seu tempo
20 de fevereiro de 2014 - 16h10
Por cada hora que uma pessoa com mais de 60 anos passa sentada aumenta em 50 por cento o risco de ficar incapacitada para tarefas simples como comer ou vestir-se, revela um estudo norte-americano.
O estudo, publicado pela revista norte-americana Physical Activity and Health e realizado por investigadores da Universidade Northwesten de Chicago, é o primeiro que mostra que o comportamento sedentário representa um fator de risco de incapacidade autónomo da falta de exercício físico.
"Esta é a primeira vez que conseguimos demonstrar que o comportamento sedentário se relaciona com a incapacidade, independente da quantidade de exercício moderado praticadas", disse Dorothy Dunlop, professora da faculdade de Medicina da universidade de Northwestern e principal autora da investigação.
Nos Estados Unidos, mais de 56 milhões de pessoas sofrem de incapacidade, caracterizada por limitações para realizar atividades básicas como comer, vestir-se ou tomar banho, ir para a cama, levantar-se e caminhar em casa.
Os norte-americanos com mais de 60 anos são sedentários cerca de dois terços do seu tempo, ou seja cerca de nove horas por dia.
"Os adultos idosos precisam de reduzir o tempo que passam sentados em frente à televisão ou ao computador, seja qual for a sua participação numa atividade física vigorosa ou moderada", reforçou Dunlop.
O estudo analisou uma amostra de 2.286 adultos com mais de 60 anos.
Lusa
artigo do parceiro: Nuno de Noronha

Comentários