Passar mais de quatro horas sentado leva a doenças crónicas

Aumento do risco sobe com o número de horas que passa sentado
26 de fevereiro de 2013 - 09h58
Não são boas notícias para quem trabalha num escritório. Quem passa mais de quatro horas por dia à secretária fica mais propenso a desenvolver doenças crónicas como diabetes, cancro, problemas cardíacos e hipertensão, indica estudo norte-americano.
Os dados obtidos durante o estudo da Universidade do Kansas revelam que quanto mais uma pessoa fica sentada, maior será o seu risco de desenvolver doenças crónicas.
Richard Rosenkranz, professor assistente de Nutrição Humana na referida universidade, e os colegas examinaram as associações entre o tempo gasto sentado e a ocorrência de doenças crónicas. A equipa recrutou 63.048 homens australianos entre os 45 e 65 anos que relataram a presença ou ausência de doenças crónicas, juntamente com o tempo diário que passam sentados: classificado como menos de quatro horas, entre quatro e seis horas, entre seis e oito horas e mais de oito horas.
Em comparação com aqueles que relataram ficar sentados quatro horas ou menos por dia, os que estavam sentados mais de quatro horas eram significativamente mais propensos a ter uma doença crónica como cancro, diabetes, doença cardíaca e pressão arterial elevada. 
Entre os que ficavam sentados menos de seis horas por dia, a tendência era para relatarem casos de diabetes, indica o estudo publicado no International Journal of Behavioral Nutrition and Physical Activity.
"Percebemos que havia um aumento constante no risco de doenças crónicas conforme os participantes passavam mais tempo sentados", comenta Rosenkranz, num comunicado emitido pela universidade.
SAPO Saúde
artigo do parceiro: Nuno de Noronha

Comentários