Parlamento vai ouvir DECO, ASAE e Laboratório Investigação Veterinária

Audição das três entidades foi aprovado na terça-feira por unanimidade
27 de fevereiro de 2013 - 15h50



A comissão parlamentar de Agricultura aprovou a audição da DECO, da ASAE e do Laboratório Nacional de Investigação Veterinária, entidades que serão inquiridas sobre problemas na venda de produtos processados contendo carne de cavalo em substituição de vaca.



Segundo a informação divulgada hoje pelo PCP, o requerimento dos comunistas para a audição das três entidades foi aprovado na terça-feira por unanimidade.



De acordo com o requerimento do PCP, o ministério, um ex-dirigente da ASAE e o Sistema Comunitário de Alerta Rápido para a Alimentação têm dado informações contraditórias, "em que tão depressa" é dito que não se conhecem quaisquer produtos contendo carne diferente do rotulado, como a União Europeia alerta para que Portugal foi recetor de produtos alimentares contendo carne de cavaco.



No requerimento, o PCP alerta ainda para a necessidade da marcação urgente da audição com o secretário de Estado da Alimentação e Investigação Agroalimentar, requerida pelos comunistas e que foi aprovada em dezembro, a propósito dos atrasos no pagamento às associações de produtores pecuários dos valores referentes à sanidade animal.



"A gravidade de ambas as situações exige e realização urgente das audições e uma mais rápida atuação do Governo na garantia das condições de saúde pública e na proteção económica dos consumidores e dos agentes económicos. Por detrás de uma fraude económica pode descobrir-se um grave problema de saúde pública e o Governo deve prestar esclarecimentos sobre esses assuntos", refere o PCP.



A ASAE instaurou quinta-feira cinco processos-crimes a empresas portuguesas por fraude sobre mercadoria e apreendeu 79 mil quilogramas de carne contendo vestígios de carne de cavalo.



Em comunicado, a Autoridade de Segurança Alimentar e Económica (ASAE) adianta que foram também apreendidas, no comércio de retalho e distribuição 18.839 embalagens de produtos à base de carne, como por exemplo lasanhas, hambúrgueres, canelones e almôndegas.



Segundo a ASAE, os 79 mil quilogramas de carne e produtos à base de carne contendo carne de cavalo foram apreendidos em estabelecimentos industriais de



Lusa
artigo do parceiro: Nuno Noronha

Comentários