Ordem envia 300 enfermeiros para zonas afetadas pelos incêndios

A Ordem dos Enfermeiros (OE), em articulação com o Ministério da Saúde e com o posto de comando de Pedrogão Grande, está a mobilizar desde a madrugada de sábado vários enfermeiros para as zonas afetadas pela trágica vaga de incêndios que afeta o Centro do país.
créditos: PAULO CUNHA/LUSA

Mais de 300 enfermeiros, de uma forma voluntária, já responderam ao pedido da Ordem para assegurarem o funcionamento de 10 centros de saúde das regiões afetadas.

"Há falta de enfermeiros e as populações precisam de nós. Obrigada a todos os voluntários. Tenho orgulho nos enfermeiros desta país. Vamos continuar a articular a nossa ajuda com as entidades competentes. Enfermeiros da OE estão no centro de comando de Pedrógão Grande. O meu telefone continua repleto de mensagens de enfermeiros que querem ajudar. Muito obrigada", afirma a Bastonária Ana Rita Cavaco em comunicado da Ordem dos Enfermeiros.

A mobilização de enfermeiros para o terreno está a ser coordenada pela Secção Regional do Centro (SRC) da Ordem. Já estão identificados os locais com maiores necessidades. Enfermeiros da Ordem, do Norte, Centro, Sul e sede nacional já estão no centro de crise da OE na SRC e estão a contactar todos os enfermeiros que se disponibilizem.

A OE está a fazer um ponto de situação permanente com o Ministério da Saúde e o Ministério da Administração Interna.

"Não há palavras que bastem para as famílias e amigos das vítimas dos incêndios. As pessoas são únicas. Mas para os enfermeiros tenho muitas palavras, de agradecimento, coragem, orgulho e incentivo. Sei que estão, como sempre, na linha da frente. Um agradecimento muito especial aos enfermeiros bombeiros, bem como a todos os outros profissionais que zelam para que possamos viver seguros e mais tranquilos. O meu coração está convosco. A Ordem e os enfermeiros estão, como sempre estivemos, ao serviço do país", frisa Ana Rita Cavaco em comunicado.

artigo do parceiro: Nuno de Noronha

Comentários