Ordem dos Médicos quer saber "riscos" para a saúde no Hospital de S. João, no Porto

Denúncias sobre situações de deficiência despoletaram atitude da OM
30 de junho de 2014 - 12h28



A Ordem dos Médicos exigiu hoje conhecer todas as questões que podem pôr "em risco" os cuidados de saúde no Centro Hospitalar de S. João, no Porto, onde no dia 19 todos os dirigentes intermédios se demitiram.



Em conferência de imprensa, o presidente da Secção Regional do Norte da Ordem dos Médicos, Miguel Guimarães, elogiou a decisão dos profissionais do S. João como “um exemplo a seguir em defesa do Serviço Nacional de Saúde”, mas pretende que lhe sejam “comunicadas todas as situações que possam pôr em risco a qualidade da prestação de cuidados de saúde à população”.



“Esta é uma obrigação ética, deontológica, moral e cívica de todos os médicos”, frisou o responsável, acrescentando já ter “recebido algumas denúncias sobre situações de deficiência, insuficiência ou irregularidade que podem colocar em risco a saúde dos doentes ou dos médicos”.



Por Lusa
artigo do parceiro: Nuno Noronha

Comentários