Ordem dos Médicos classifica como positiva resposta ao surto de legionella

O bastonário da Ordem dos Médicos, José Manuel Silva, considera que tem havido uma boa resposta dos hospitais ao surto de legionella, apesar de não haver muitas camas de cuidados intensivos no país.

Em declarações à Antena 1, José Manuel Silva refere que "é sabido que o país tem um défice de camas de cuidados intensivos".

"No entanto, a avaliar pela baixa taxa de mortalidade nesta epidemia de legionella, tem havido uma boa resposta", concluiu José Manuel Silva.

"Naturalmente os serviços estarão todos a funcionar no limite e os hospitais estão a entreajudar-se, mas para já não há dados objetivos de que o sistema esteja incapaz de responder”, frisa, cita a RTP.

Também o presidente da Assembleia Geral da Associação de Médicos de Saúde Pública, Mário Durval, acredita que a partir do momento em que for identificada a fonte do surto de legionella vai ser possível definir medidas mais concretas junto da população em vez das medidas generalizadas que estão a ser usadas neste momento.

No entanto, em declarações à referida rádio, Mário Durval afrima que estão a ser tomadas as medidas adequadas para conter este surto de legionella e que o mais importante agora é identificar a origem do surto.

Humidade pode estar a potenciar surto

De acordo com o médico, a humidade que se verifica devido ao estado do tempo pode estar a ajudar a propagar a bactéria mais rapidamente do que seria possível em dias de calor e baixa humidade.

artigo do parceiro: Nuno Noronha

Comentários