Ordem dos Farmacêuticos garante que "caso pontual" de troca de medicamentos não espelha realidade

Bastonário defende que números nacionais demonstram a eficácia da prescrição por DCI
17 de setembro de 2013 - 16h21



O bastonário da Ordem dos Farmacêuticos garantiu hoje que um “caso pontual” de troca de medicamentos nas farmácias, denunciado hoje pela Ordem dos Médicos, não espelha a realidade nacional.



A propósito do anúncio da Ordem dos Médicos que hoje denunciou “mais um caso” de substituição de prescrições de medicamentos nas farmácias Carlos Maurício Barbosa disse que “a realidade nacional não é esta”.



“O senhor bastonário [da Ordem dos Médicos] esteve desde sempre contra a aprovação da legislação que obriga a prescrição por Denominação Comum Internacional (DCI). Não gosta e sempre lutou contra isso”, disse.



Em declarações à agência Lusa, Carlos Maurício Barbosa disse que os números nacionais demonstram a eficácia da prescrição por DCI.



No mercado de medicamentos de ambulatório, exemplificou, registou-se uma poupança de 50 milhões de euros para os utentes e de 62,5 milhões de euros para o Serviço Nacional de Saúde (SNS).



“Os portugueses pouparam e o SNS poupou, o que quer dizer que a legislação está a dar resultados”, adiantou.



O ministro da Saúde disse hoje que está no terreno uma inspeção sobre a troca de medicamentos nas farmácias, que envolve mais de 300 estabelecimentos, e disse que esta prática por motivos económicos “não é admissível”.



SAPO Saúde com Lusa


artigo do parceiro: Nuno Noronha

Comentários