Ordem dos Farmacêuticos admite expulsar envolvidos no caso Remédio Santo

Os farmacêuticos envolvidos em fraudes ao Serviço Nacional de Saúde podem ser alvo de processo de expulsão da Ordem dos Farmacêuticos, revela membro da direção do organismo.

A Ordem dos Farmacêuticos admite pedir ao Ministério Público todos os elementos necessários para poder abrir um inquérito e tirar as consequências apropriadas a cada caso.

Ana Teresa Barreto, da direção nacional da Ordem dos Farmacêuticos, em declarações à Antena 1, afirma que a entidade está a acompanhar a situação e que poderá avançar com processos de expulsão contra os membros envolvidos nos casos de fraude.

Na passada terça-feira a Polícia Judiciária (PJ) anunciou a detenção de um farmacêutico pela presumível prática de crimes de falsificação de documento agravada, burla qualificada, associação criminosa, fraude fiscal e branqueamento de capitais.

Um comunicado emitido pela PJ explicava que está a ser investigado “um esquema fraudulento de obtenção de medicamentos comparticipados pelo Estado Português entre 95 e 100 por cento, com base em receituário falso”.

A operação dirigida pelo Ministério Público está relacionada com o processo principal, denominado “Remédio Santo”, que envolve mais de duas centenas de casos de fraude no Serviço Nacional de Saúde, num valor que supera os 200 milhões de euros.

artigo do parceiro: Nuno Noronha

Comentários