Ordem apoia greve dos Enfermeiros marcada para final do mês

 A bastonária Ana Rita Cavaco disse hoje que a Ordem vai apoiar a greve dos enfermeiros especialistas anunciada para 31 de julho, salientando “não compreender a birra do Governo ao não negociar e resolver o problema".

Os enfermeiros especialistas em saúde materna e obstetrícia vão fazer uma greve de 31 de julho a 04 de agosto, em protesto contra o não pagamento desta especialização.

Em declarações hoje à agência Lusa, Ana Rita Cavaco disse que a Ordem dos Enfermeiros apoia a greve “por tudo o que se está a passar com os enfermeiros e no Serviço Nacional de Saúde (SNS). “Não entendemos esta birra. Achamos que é uma birra do Governo em não conseguir resolver e negociar com os sindicatos como faz com as outras classes profissionais. Não sei se existe algum problema por parte do Governo com os enfermeiros, mas se existe não devia existir porque são estes que estão 24 horas por dia nas instituições de saúde”, sublinhou.

A bastonária frisou que esta greve não é só dos especialistas, mas de todos os enfermeiros. “Os enfermeiros estão a avançar para uma greve geral de cinco dias e isto nunca aconteceu. Somos 70 mil inscritos na Ordem, mais de 40 mil a trabalhar no SNS e a maior classe profissional do país. Se avançam com uma greve isso deveria fazer-nos pensar enquanto pessoas”, disse Ana Rita Cavaco.

Ministro não comenta

Contactado pela agência Lusa, o gabinete do ministro da Saúde Adalberto Campos Fernandes disse "não comentar pré-anúncios de greve".

A Bastonária lembrou à Lusa que a greve é um “direito legal de qualquer profissão” e que como está na lei “vão ser cumpridos os serviços mínimos”.

Veja ainda: 12 sintomas que não deve ignorar

Comentários