OMS recomenda duas e não três doses da vacina contra vírus do Papiloma Humano

A Organização Mundial de Saúde publicou esta quarta-feira novas recomendações na luta contra o cancro do colo do útero para permitir uma melhor prevenção nos países pobres.
créditos: LUSA/JOAO RELVAS

A Organização Mundial de Saúde (OMS) defende agora a aplicação de duas doses da vacina contra o vírus do Papiloma Humano (HPV), contra as três recomendadas anteriormente, em raparigas com idades entre nove e 13 anos.

A OMS, que apresentou as suas novas recomendações no congresso mundial de luta conta o cancro, em Melbourne, estima que duas injeções são mais eficazes do que três.

"A combinação de instrumentos mais eficazes e acessíveis para prevenir e tratar o cancro do colo do útero vai ajudar a reduzir o custo da saúde, especialmente nos países mais pobres", disse Nathalie Broutet, epidemiologista na OMS.

Além disso, o teste de despistagem das infeções por vírus do Papiloma Humano -- que são responsáveis por 99% dos casos de cancro do colo do útero -- e realizado a partir dos 18 anos de idade pode ser feito a cada cinco anos em caso de resultados negativos, contra os dois anos atualmente aplicados em vários países.

A primeira vacina contra o HPV foi lançada no mercado em 2006.

artigo do parceiro: Nuno Noronha

Comentários