Oftalmologistas reúnem-se para discutir tratamento de doenças que causam cegueira

Reunião apresentará novo produto antiangiogénico aplicado há um ano nos Estados Unidos
9 de maio de 2013 - 14h30



Cerca de 260 oftalmologistas participam na sexta-feira e no sábado, no Porto, num encontro para discutir as doenças da retina, nomeadamente o edema macular diabético e a degenerescência macular da idade, que são duas das principais causas de cegueira.



“Até há poucos anos, o doente que tivesse um destes problemas acabava por ficar cego. A situação alterou-se com o surgimento dos antiangiogénicos e outros tratamentos, que se aplicados atempadamente obtêm grandes resultados, parando a evolução das patologias e evitando a cegueira”, disse o oftalmologista Neves Martins.



Neves Martins, coordenador do Grupo Português de Retina-Vítreo, disse ainda que na reunião será apresentado um novo produto antiangiogénico, que já está a ser aplicado desde há um ano nos Estados Unidos.



“Teremos um especialista americano a falar-nos pela primeira vez da experiência com a utilização deste novo produto”, disse, salientando que “o objetivo da reunião é precisamente o intercâmbio de conhecimentos entre os vários especialistas nacionais e estrangeiros e com outras sociedades científicas”.



No decorrer do encontro, que é organizado em colaboração com o Grupo Português de Inflamação Ocular, será lançado o livro “Ver mais para viver melhor”, que reúne “a experiência clínica das doenças da retina em Portugal”.



A obra relata 30 casos de doentes portugueses, tratados por oftalmologistas em hospitais de todo o país. “São 30 histórias que testemunham que cada doente é um caso e, por isso, é tão importante a partilha da experiência clínica. Os 49 médicos envolvidos querem também comprovar a qualidade e o empenho dos oftalmologistas portugueses”, acrescentou o especialista.



Lusa
artigo do parceiro: Nuno Noronha

Comentários