Obama quer 68 milhões de euros para combater o Ébola

Serra Leoa, Guiné- Conacri e Libéria são os países mais atingidos
15 de setembro de 2014 - 11h50



O Presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, vai pedir ao Congresso norte-americano que disponibilize 88 milhões de dólares, cerca de 68 milhões de euros, para financiar uma ofensiva em África contra o vírus Ébola.



De acordo com o Wall Street Journal, Obama vai anunciar esta iniciativa quando visitar o Centro de Controlo e Prevenção de Doenças na terça-feira, no Estado da Georgia.



A iniciativa, de acordo com o jornal, inclui o reforço do envolvimento militar na África Ocidental, e poderá passar pela criação de hospitais de campanha e envio de médicos e peritos sanitários, bem como o fornecimento de instrumentos médicos e formação de pessoal no local.



A iniciativa passa por quatro vetores: controlar o surto na África Ocidental, aumentar a competência dos sistemas de saúde locais, especialmente na Libéria, construir capacidade local através do treino de pessoal médico local, e aumentar o apoio das organizações internacionais como as Nações Unidas ou a Organização Mundial de Saúde.



"Há muita coisa que já fizemos, mas isto não é suficiente", disse a conselheira antiterrorista de Obama, Lisa Monaco, em declarações ao WSJ, explicando que, por isso, "o Presidente preparou uma resposta mais abrangente e é isso que vamos ouvir na terça-feira".



O surto de Ébola já matou mais de 2.400 pessoas desde o início do ano, de acordo com a OMS.



Serra Leoa, Guiné- Conacri e Libéria são os países mais atingidos.



Por Lusa
artigo do parceiro: Nuno Noronha

Comentários