O outono regressa e as temperaturas baixam 4 a 5 graus

As temperaturas máximas vão descer 4 a 5 graus a partir desta sexta-feira, prevendo-se também períodos de chuva que pode ser forte e acompanhada de trovoada, disse à agência Lusa o meteorologista Bruno Café.

“Estamos a falar de descidas da temperatura máxima que poderão ser de 4 a 5 graus Celsius hoje. Essa descida, de 4 a 5 graus, continua no sábado e no domingo. Estamos a falar de valores de temperatura máxima para hoje entre os 22 e os 27 graus e no domingo entre os 16 a 22 graus”, disse Bruno Café, do Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA).

De acordo com Bruno Café, para hoje está previsto céu pouco nublado ou limpo, tornando-se gradualmente muito nublado no litoral oeste a partir do início da tarde e progredindo para o interior, períodos de chuva a partir do meio da tarde nas regiões do litoral a norte do Cabo Espichel, estendendo-se ao interior, e sendo por vezes forte no Minho e Douro Litoral para o final do dia.

Está também previsto vento fraco a moderado do quadrante leste, tornando-se moderado e forte nas terras altas, pequena subida da temperatura mínima no litoral norte e centro e descida da máxima.

O meteorologista do IPMA adiantou à Lusa que o fim de semana vai ser marcado pela chuva, que poderá ser forte e acompanhada por trovoadas nas regiões norte e centro até final da tarde.

“No sábado prevê-se céu em geral muito nublado, com abertas na região sul, diminuindo gradualmente de nebulosidade a partir da tarde, períodos de chuva ou aguaceiros, em especial nas regiões norte e entro e até final da tarde, condições favoráveis à ocorrência de trovoada nas regiões norte e centro até final da tarde”, disse.

Segundo Bruno Café, está também previsto para o fim de semana vento em geral fraco predominando do quadrante oeste, soprando moderado de norte no litoral a norte do Cabo Raso a partir do início da tarde, sendo de sueste na costa sul do Algarve até ao início da tarde, neblina ou nevoeiro matinal, em especial nas regiões norte e centro e descida da temperatura máxima, em especial nas regiões norte e centro.

artigo do parceiro: Nuno de Noronha

Comentários