Nunca é tarde fazer exercício para envelhecer com saúde, diz estudo

Envelhecimento em forma pode ser definido como a ausência de doença crónica
26 de novembro de 2013 - 10h21
Uma atividade física regular pode triplicar as hipóteses de se envelhecer bem e em forma, de acordo com um estudo divulgado esta terça-feira.
Depois de oito anos acompanhando um universo de 3.500 pessoas de 64 anos, cientistas britânicos mostraram que aqueles que tiveram uma atividade física regular moderada, ou vigorosa, têm sete vezes mais hipóteses do que as pessoas sedentárias de envelhecer em forma e com saúde.
Essas possibilidades continuam a triplicar entre os 10% de ex-sedentários que retomaram os exercícios entre 2002 e 2010, de acordo com o estudo publicado no British Journal of Sports Medicine, editado pelo mesmo grupo do British Medical Journal (BMJ).
Segundo o estudo, uma em cada cinco pessoas era considerada "bem de saúde, enquanto quatro em cada dez desenvolveram uma patologia crónica, uma em cada cinco sofria de depressão, ou défice cognitivo e um terço de uma incapacidade pelo menos parcial".
Os cientistas dirigidos por Mark Hamer, epidemiologista da University College de Londres, levaram em conta outros fatores principais suscetíveis de influenciar o envelhecimento, como o tabaco, o álcool, o estado civil, ou os recursos financeiros.
Embora não haja consenso sobre o tema, avaliou-se que o "envelhecimento em forma" pode ser definido como a ausência de doença crónica, de défice cognitivo "importante", ou de "limitação importante" das capacidades físicas, assim como gozar de boa saúde mental.
"Esse estudo", concluem, "apoia as políticas de saúde pública que estimulam os idosos a realizar uma atividade física, mesmo em idades já avançadas".
SAPO Saúde com AFP
artigo do parceiro: Nuno de Noronha

Comentários