Novo mini adesivo contracetivo chega a Portugal em novembro

Foi hoje anunciado, no Congresso da Sociedade Portuguesa de Contraceção, o lançamento de uma inovação na área da contraceção transdérmica em Portugal – um novo mini adesivo contracetivo – disponível a todas as mulheres em Portugal a partir de novembro de 2015. Esta nova alternativa, de tecnologia inovadora, vem proporcionar uma evolução na área dos adesivos contracetivos, que esperava há cerca de 10 anos por novas opções nesta área.

Foi hoje anunciado, no Congresso da Sociedade Portuguesa de Contrace

O novo mini adesivo distingue-se das restantes contraceções transdérmicas adesivas por ser uma contraceção de baixa dosagem e por ser o primeiro adesivo transparente disponível no mercado, o que o torna esteticamente mais apelativo para as mulheres que o usam, para além de ser mais fino e discreto.

“O adesivo é o contracetivo ideal para quem não gosta de tomar a pílula diariamente e prefere fazer uma troca semanal de contraceção ou que não têm horários regulares, que pode em algumas mulheres evitar o esquecimento, aumentando a eficácia da contraceção. O mini adesivo contracetivo pode ser uma excelente alternativa a considerar a mulheres que não o usavam adesivos contracetivos por ser inestético” avança Fátima Palma, especialista em ginecologia e obstetrícia.

Vários especialistas nacionais e internacionais estiveram reunidos a debater as novas alternativas existentes na área da contraceção e as vantagens da sua utilização de forma a ir ao encontro do estilo de vida das mulheres nos dias de hoje.

O adesivo contracetivo é um método de contraceção constituído por um fino adesivo que se aplica sobre a pele, transferindo diariamente, através da pele para a via sanguínea as hormonas que inibem a libertação do óvulo.

Há mais de 10 anos que não existia uma inovação na área dos adesivos contracetivos transdérmicos. Este novo mini adesivo materializa essa inovação e distingue-se pelas seguintes características:

• Contracepção de baixa dosagem de estradiol combinado com Gestodeno, que se traduz em menores efeitos adversos, boa tolerância e boa estabilização do endométrio, comparativamente com outros adesivos contracetivos;
• Adesivo transparente, fácil de aplicar dada a sua adesividade, o que o torna esteticamente mais atractivo, mais discreto e eficaz.
• Bastante mais pequeno (3,7 cm diâmetro), mais fino e menos intrusivo;
• Contém um progestativo consagrado, que alia uma alta eficácia e um bom perfil metabólico;
• Aplicação de adesivo semanal, durante três semanas consecutivas, seguindo-se de uma de pausa;
• É uma inovação pela qual todas as mulheres poderão optar;
• Um estudo recente indica que comparativamente a outros adesivos, este adesivo consegue um melhor controlo hemorrágico.

Segundo o estudo Avaliação das Práticas Contracetivas das Mulheres em Portugal 2015, que avaliou os hábitos de contraceção das mulheres em Portugal, as mulheres continuam a preferir a contraceção hormonal combinada. Na contraceção transdérmica, enquanto em 2005 a utilização era apenas de cinco mulheres em cada cem, este cresceu para as 30 mulheres em cada cem, em 2015. Este estudo mostra também que o adesivo é um dos métodos que tem um dos maiores índices de confiabilidade das mulheres, que chegaram aos 57,8%, ficando até acimada pílula.

Comentários