Novo hospital de dia inaugurado em Amarante reúne várias especialidades

Unidade vai apostar nas cirurgias de ambulatório em patologias do joelho, mão, ombro e pé
10 de março de 2014 - 12h09



O hospital de dia da nova unidade de Amarante, inaugurado na passada sexta-feira, presta cuidados em especialidades de ambulatório, evitando o internamento de doentes, anunciou o centro hospitalar do Tâmega e Sousa (CHTS). Segundo um comunicado do centro hospitalar, o novo serviço terá "um carácter polivalente" e vai trabalhar nas especialidades de urologia, gastroenterologia, pediatria, cardiologia e medicina interna.



"Particularmente importante no tratamento de doentes crónicos, a nova unidade permite um acompanhamento mais eficaz dos diabéticos", evidencia a nota daquele centro hospitalar.



O acompanhamento de doentes oncológicos é outra área em desenvolvimento ao nível de hospital de dia, nomeadamente na urologia, com a administração de quimioterapia, assinala-se ainda no documento.



A unidade agora inaugurada permitirá também a implementação, no âmbito da pediatria, de testes de pesquisa de alergias, "com evidentes benefícios clínicos já comprovados com a experiência do hospital de dia em funcionamento no Hospital Padre Américo", em Penafiel.



A unidade de Amarante tinha já em funcionamento o hospital de dia de psiquiatria. Segundo a fonte, também já se encontra em atividade o hospital de dia de medicina física e reabilitação.



O hospital de dia é, acrescenta o comunicado, "uma estrutura organizacional com um espaço físico próprio, onde se concentram meios técnicos e humanos qualificados, que fornecem cuidados de saúde de modo programado a doentes em ambulatório, em alternativa à hospitalização clássica, por um período não superior a 12 horas".



Aquele serviço permite também um "substancial incremento da qualidade de vida dos utentes e redução de custos inerentes ao internamento hospitalar tradicional". Em fevereiro, foi anunciado que a unidade de Amarante tinha iniciado um programa que permitirá aumentar em 15% a produção cirúrgica do Centro Hospitalar do Tâmega e Sousa, reduzindo as listas de espera.



O novo programa vai apostar nas potencialidades da cirurgia de ambulatório em patologias do joelho, mão, ombro e pé. Além da ortopedia, já se estão a realizar naquele hospital cirurgias de otorrinolaringologia, urologia e cirurgia geral.



A nova unidade hospitalar, que abriu em dezembro de 2012, custou cerca de 27 milhões de euros. O hospital serve os concelhos do Baixo Tâmega (Amarante, Celorico de Basto, Baião e Marco de Canaveses). O Hospital de Amarante integra, conjuntamente com a unidade de Penafiel, o Centro Hospitalar do Tâmega e Sousa.



Lusa
artigo do parceiro: Nuno Noronha

Comentários