Novo centro de saúde de Alvaiázere concluído no primeiro semestre de 2015

Trata-se de uma obra cofinanciada a 85 por cento pela União Europeia
4 de setembro de 2014 - 10h01



A Câmara de Alvaiázere está a construir um novo centro de saúde, obra de cerca 1,3 milhões de euros, incluindo equipamento, para concluir no primeiro semestre de 2015, disse hoje a vice-presidente da autarquia.



“Trata-se de uma obra cofinanciada a 85 por cento pelo atual quadro comunitário de apoio e a sua mais-valia é a melhoria significativa da prestação de cuidados de saúde à população e, em simultâneo, proporcionar melhores condições de trabalho para os profissionais de saúde”, afirmou à agência Lusa Célia Marques.



Questionada se, terminado o investimento, este poderá determinar o encerramento das cinco extensões de saúde do concelho, Célia Marques referiu que o fecho destas unidades “é da competência da Administração Regional de Saúde do Centro”.



“Não temos a indicação de encerramento, mas as extensões de saúde estão a funcionar de uma forma precária, devido à ausência de médicos e administrativos”, declarou.



A vice-presidente daquele município do distrito de Leiria salientou que, se tal suceder, “cenário que a autarquia tem vindo a visualizar noutros concelhos”, a construção das novas instalações garantem “condições para acolher os utentes de todo o concelho”.



O futuro edifício, de apenas um piso e em curso junto dos equipamentos desportivos da sede do concelho, contempla oito gabinetes médicos, quatro salas de enfermagem e o mesmo número de salas de tratamento, adiantou Célia Marques.



Entre outros espaços, a obra inclui um jardim interior ou uma sala de espera com espaço para crianças, estando adaptado para pessoas com mobilidade condicionada, o que não acontece no atual centro de saúde.



“A localização, no centro da vila, está, também ao nível das acessibilidades rodoviárias, melhor servido”, observou, referindo que o atual, situado na rua principal, “em determinados dias, tem mais dificuldades de acesso”.



Confrontada com o facto de o município se estar a substituir ao Estado na construção deste equipamento, Célia Marques assinalou que a autarquia “prefere ser parte da solução e não do problema” e, neste caso, “à semelhança de outros no concelho, contribuiu para arranjar uma solução”.



Assim que a transferência dos serviços de saúde para o novo edifício for concluída, a “intenção da Câmara de Alvaiázere é que as velhas instalações sejam ocupadas pela junta de freguesia e associações”.



Por Lusa
artigo do parceiro: Nuno Noronha

Comentários