Norueguesa documenta luta contra a anorexia nas redes sociais e é motivo de inspiração

Amalie Lee partilha com os seus 79 mil seguidores fotografias da sua dieta e mensagens inspiradoras.
créditos: Instagram

Amalie Lee tinha 17 anos quando foi lhe diagnosticada anorexia. Devido ao seu fraco estado nutricional, a jovem acabou por ser hospitalizada e tomou a seguinte decisão: partilhar a sua recuperação na rede social Instagram na tentativa de inspirar e ajudar outras jovens que sofriam do mesmo problema.

“Comecei a documentar a minha recuperação desde o início e é esquisito olhar para trás,” revelou Amalie Lee em entrevista à agência de notícias, Caters News. Apesar das melhorias visíveis a nível físico, a jovem revela que as sequelas psicológicas foram as mais difíceis de ultrapassar.

“O facto de eu pensar que podia passar o resto da minha vida sozinha, consumida por esta doença, acabou por se tornar mais assustador do que o próprio processo de recuperação”, explicou a jovem, cujo plano de recuperação incluía o consumo de 3000 calorias diárias.

Três anos depois, a jovem dinamarquesa revela que se sente “muito orgulhosa” da sua transformação física e da influência positiva que têm na vida de outras raparigas que lutam contra a anorexia. No ano passado criou o blog Letsrecover que “funciona como uma biblioteca de recuperação, a que toda a gente pode aceder”, revelou ao jornal britânico DailyMail.

A anorexia é uma realidade preocupante e que afeta milhares de mulheres em todo o mundo. Em Portugal, os dados mais recentes, relativos ao ano de 2013, revelam que há cada vez mais casos de anorexia no nosso país.

De acordo com o relatório da Direção-Geral de Saúde (DGS), em 2013, os hospitais portugueses diagnosticaram falta de apetite e perda de peso em 2388 utentes, o que se traduz num aumento de 30% face ao ano anterior. O mesmo se aplica ao número de óbitos, que ultrapassou os 400 casos. Relativamente à anorexia nervosa, os hospitais admitem estar a receber pessoas cada vez mais velhas.

Comentários