Níveis elevados de pólenes em todo o país

A alergia ao pólen é causa de manifestações alérgicas do aparelho respiratório, olhos ou pele
17 de abril de 2014 - 17h01



As concentrações de pólenes no ar vão estar elevadas em todo o país até quinta-feira, sendo muito elevadas no sul, anunciou hoje o Boletim Polínico da Sociedade Portuguesa de Alergologia e Imunologia Clínica (SPAIC).



Para a semana de 18 a 24 de abril, preveem-se para as regiões norte e centro concentrações em níveis elevados, com destaque para os pólenes de carvalhos, pinheiro, vidoeiro, plátano e gramíneas e das ervas urtigas, azedas, gramíneas e tanchagem.



Na Estremadura e região de Lisboa, os pólenes também vão estar em níveis elevados, predominado os das árvores azinheira e oliveira e das ervas urtigas, parietária e azedas.



Para o Alentejo, são esperadas concentrações muito elevadas de pólenes, predominando os de azinheira, urtigas, azedas e tanchagem.



Também no Algarve, os pólenes estarão em níveis muito elevados, com destaque para os da azinheira, oliveira e das ervas urtigas, tanchagem e quenopódio.



Já nos Açores e na Madeira, os pólenes encontram-se em níveis moderados, com predomínio dos pólenes de pinheiro, urtigas, plátano, cipreste e erva parietária.



A alergia ao pólen é causa frequente de manifestações alérgicas, que podem ser do aparelho respiratório (asma e rinite alérgica), dos olhos (conjuntivite alérgica) ou da pele (urticária e eczema).



O Boletim Polínico efetua a divulgação semanal sobre os níveis de pólenes existentes no ar atmosférico recolhidos através da leitura de vários postos que fazem uma recolha contínua dos pólenes em várias regiões do País.



Lusa
artigo do parceiro: Nuno Noronha

Comentários