Níveis de polén estão "muito elevados" no continente

O alerta vai particularmente para os doentes com alergia aos pólenes
16 de maio de 2013 - 09h28



Os níveis de pólen na atmosfera vão estar muito elevados em Portugal continental a partir de sexta-feira, informou hoje a Sociedade Portuguesa de Alergologia e Imunologia Clínica (SPAIC), no seu Boletim Polínico.



“Para a semana de 17 a 23 de maio, estão previstos níveis muito elevados de pólen atmosférico para Portugal continental, mantendo-se níveis baixos para os arquipélagos dos Açores e da Madeira, sendo as maiores concentrações atingidas nos dias quentes, secos e com vento”, refere a Sociedade.



O alerta vai particularmente para os doentes com alergia aos pólenes de gramíneas, oliveira e ervas parietária e tanchagem (espontânea e frequente em Portugal, nos lugares húmidos, também conhecida por carrajó ou tanchagem-menor).



Em Trás-Os-Montes e Alto Douro e Douro Litoral, os pólenes encontram-se em níveis muito elevados, com destaque para os de carvalho, pinheiro, gramíneas, erva parietária, oliveira, azeda e tanchagem.



A SPAIC adianta que, na Beira Litoral e na Beira Interior, os pólenes encontram-se em níveis muito elevados, com predomínio dos pólenes de oliveira, carvalho, erva parietária, gramíneas, azeda, tanchagem e pinheiro.



Na Estremadura, Alentejo e Algarve, os pólenes encontram-se em níveis muito elevados, com destaque para os pólenes de oliveira, gramíneas, sobreiro e ervas parietária, tanchagem, azeda e quenopódio (também conhecido por erva-formigueira).



De acordo com a SPAIC, as maiores concentrações de pólenes vão ser registadas nos dias quentes, secos e com vento, sendo que nos centros urbanos, o efeito adicional da poluição provoca uma maior agressividade dos alergénicos polínicos.



Por isso, a Sociedade de Alergologia diz que nestas situações é fundamental que as pessoas que sofrem de alergias “tomem medidas preventivas”, como a toma de medicação para combater os sintomas e vacinas antialérgicas.



Em comunicado, a SPAIC aconselha que se evite algumas atividades ao ar livre em especial durante as horas de maior polinização, como acontece durante a manhã, viagens de carro com janelas fechadas, óculos escuros e uso integral de capacete pelos motociclistas.



O Boletim Polínico faz a divulgação semanal sobre os níveis de pólenes existentes no ar atmosféricos, obtidos através da leitura de vários postos que fazem a recolha contínua dos pólenes, em várias regiões do país.



Lusa
artigo do parceiro: Nuno Noronha

Comentários