“Não queria que a minha filha visse um pai viciado em tabaco”

Dia Mundial Sem Tabaco comemora-se esta sexta-feira
31 de maio de 2013 - 11h00



O fator saúde foi essencial para deixar de fumar, mas Manuel Marques refere que a filha também o motivou bastante. O ator conta-nos como deixou este vício que o acompanhou durante dez anos e como consegue, já há três anos, dizer “Não” a um cigarro. Aos mais novos, que ainda não fumam, espera que esse “ainda” continue, porque os malefícios do tabagismo são demasiado elevados.



Fumou durante quantos anos?

Fumei durante 10 anos.



O que o levou a fumar?

Foi, sobretudo, a influência que tive na altura em que andava na Faculdade. Nessa época até se fumava nas salas de aula.



Quantos maços costumava fumar por dia?

Em alturas de maior stress chegava a dois maços por dia.



O tabagismo trouxe-lhe alguns problemas de saúde ou de outro âmbito?

Felizmente, não.



Quando decidiu deixar de fumar?

Quando comecei a sentir que a voz não respondia tão bem, a olhar-me ao espelho e ter um aspeto pouco saudável. Era muito magro e, além disso, não queria que a minha filha visse um pai viciado em tabaco …

E também deixei pela minha saúde. Apesar de nunca ter tido doenças associadas ao tabagismo, sabia que se continuasse a fazê-lo, estaria a "condenar" a minha saúde no futuro.



Como decorreu todo esse processo de cessação tabágica?

Primeiro e mais importante foi a força de vontade, ou seja, tomar a decisão e estar consciente dela. Para complementar a decisão recorri a um medicamento e nos momentos em que me apetecia um cigarro (sobretudo, depois de tomar café, a seguir ao jantar, entre outros) preenchia essa vontade com pequenas atividades que me faziam esquecer ou aliviar a ansiedade da carência do tabaco.



Há quanto tempo não fuma?

Fez 3 anos em dezembro passado.



Ainda há momentos que sente vontade de o fazer?

Não costumo sentir vontade de voltar a esses tempos.

Comentários