Mortalidade acima do esperado, mas óbitos são inferiores aos registados em 2014

A mortalidade por “todas as causas” está acima do esperado segundo dados oficiais, embora o número de mortes ocorrido em Portugal desde o início do ano seja inferior ao registado no mesmo período do ano passado.

De acordo com o Boletim da Vigilância de Mortalidade da Direção Geral da Saúde (DGS), na primeira semana deste ano (entre os dias 01 e 03 de janeiro) registaram-se 1.238 óbitos.

No mesmo período de 2014 (entre 01 a 04 de janeiro), tinham sido registados 1.500 mortes.

Na segunda semana de janeiro deste ano, de acordo com a mesma fonte, morreram 2.268 pessoas, por todas as causas, contra os 2.448 óbitos no mesmo período do ano passado.

Segundo o Boletim de Vigilância Epidemiológica da Gripe, elaborado pelo Instituto Nacional de Saúde Dr. Ricardo Jorge (INSA), na primeira semana do ano registou-se uma mortalidade por “todas as causas” acima do esperado.

O mesmo documento indica que, neste período, o número de casos de gripe.

O Boletim dá conta do início do período epidémico, com uma taxa de incidência da síndrome gripal de 127,7 casos por cada 100 mil habitantes, acima da zona de atividade basal.

artigo do parceiro: Susana Krauss

Comentários