Ministro da Saúde inaugura na quinta-feira primeiro Hospital de Proximidade do país

Lamego é a primeira cidade a receber um Hospital de Proximidade construído de raiz para ambulatório
26 de março de 2013 - 12h30



O ministro da Saúde inaugura na quinta-feira o Hospital de Proximidade de Lamego, o primeiro do país a ser construído de raiz para ambulatório e que entrou em funcionamento a 11 de fevereiro, anunciou hoje o centro hospitalar.



O novo hospital, que representa um investimento de 42 milhões de euros, está inserido no Centro Hospitalar de Trás-os-Montes e Alto Douro (CHTMAD).



A inauguração oficial vai realizar-se, segundo anunciou hoje o CHTMAD, na quinta-feira, numa cerimónia presidida pelo ministro da Saúde, Paulo Macedo.



Este hospital é considerado um projeto de saúde inovador em Portugal, privilegiando a componente de ambulatório com o objetivo reduzir o impacto do internamento na vida dos doentes e das suas famílias.



Ao longo dos cinco andares do novo edifício estão espalhadas 14 especialidades médicas e médico-cirúrgicas e três blocos operatórios para cirurgias de ambulatório.



A unidade tem capacidade para realizar cerca de 10 mil intervenções cirúrgicas por ano.



Possui ainda consulta externa, urgência básica qualificada com capacidade para 60 mil atendimentos por ano, hospital de dia e visitas domiciliárias, que permitirão o acompanhamento dos doentes em suas casas.



Com a entrada em funcionamento da nova unidade hospitalar, o Centro Oftalmológico da Régua passou para Lamego, uma situação que aumentou o receio, entre a população local, sindicatos e partidos políticos, de que a unidade reguense possa encerrar.



Esta era a principal valência do Hospital da Régua, que está agora a funcionar apenas com o serviço de internamento, com 12 camas.



O CHTMAD não presta esclarecimentos sobre a situação do Hospital da Régua e o Ministério da Saúde nunca respondeu aos pedidos de esclarecimento feitos pela agência Lusa.



A nova unidade hospitalar de Lamego assegura a prestação de cuidados a cerca de cem mil habitantes dos dez concelhos do Douro Sul. No que respeita às áreas de cirurgia de ambulatório, dá resposta aos cerca de 350 mil habitantes que integram o CHTMAD.



Com esta nova unidade, fica concluído um ciclo de obras de remodelação do centro hospitalar que teve um investimento, nos últimos cinco anos, superior a 100 milhões de euros.



O CHTMAD é constituído por quatro unidades hospitalares (Vila Real, onde se situa a sede social, Chaves, Lamego e Peso da Régua) e uma unidade de cuidados continuados (Vila Pouca de Aguiar).



Lusa
artigo do parceiro: Nuno Noronha

Comentários