Ministro da Saúde compromete-se a alargar oferta de medicamentos inovadores em 2014

"Nunca os portugueses pagaram tão pouco e consumiram tantos medicamentos", disse ministro
27 de novembro de 2013 - 14h50



O ministro da Saúde disse esta quarta-feira que este ano já foram aprovadas 14 substâncias inovadoras, garantindo que a tutela está empenhada em garantir o acesso a novos tratamentos, embora sem abdicar da condição de não assumir encargos que o Executivo não possa pagar.



Paulo Macedo falava durante a Conferência Anual do Infarmed (Autoridade Nacional do Medicamento), dedicada ao tema Medicamentos e Produtos de Saúde - Os Desafios de Um Envelhecimento Saudável e Global, que decorre no Centro de Congressos do Estoril.



O titular da pasta da Saúde defendeu que tem conseguido manter a continuidade do acesso a cuidados de qualidade ao mesmo tempo que "nunca os portugueses pagaram tão pouco e consumiram tantos medicamentos".



A este propósito, Paulo Macedo disse que de janeiro a setembro o número de embalagens de medicamentos vendidas nas farmácias cresceu 6% em relação a igual período do ano passado, com uma poupança de 73 milhões de euros para os utentes e de 92 milhões para o Serviço Nacional de Saúde.



O ministro disse que a ideia em 2014 é manter o montante global investido, mas explicou que com a manutenção da redução do preço dos medicamentos nas farmácias e hospitais, será possível investir esse dinheiro na aprovação de mais medicamentos e dispositivos inovadores - com a ajuda de uma unidade autónoma que avaliará as tecnologias em saúde e que funcionará no Infarmed.



SAPO Saúde
artigo do parceiro: Nuno Noronha

Comentários