Médicos portugueses querem proibir cigarros eletrónicos

Especialistas defendem que restrições devem ser iguais aos cigarros normais
12 de maio de 2014 - 11h22



Os médicos querem proibir os cigarros eletrónicos nos locais públicos, tal como acontece com os cigarros normais. A informação é avançada pelo jornal "Correio da Manhã" que cita especialistas da Sociedade Portuguesa de Pneumologia.



Os clínicos querem também que a sua venda tenha as mesmas regras e seja proibida a menores de 18 anos.



Carlos Cordeiro, presidente da Sociedade Portuguesa de Pneumologia, afirma que não se sabe "que tipo de substâncias são emitidas pelos cigarros eletrónicos" e, por isso, estes não devem ser usados em espaços públicos. Além disso, defende que "devem ser classificados como medicamentos e controlados pelo Infarmed".



Uma norma europeia, relacionada com o fabrico, apresentação e venda de tabaco entra em vigor no próximo dia 19 de maio e os países têm até 2016 para rever a legislação interna.



As autoridades nacionais deverão seguir os conselhos dos especialistas para transpor a diretiva que restringir o uso deste cigarros.



Por SAPO Saúde
artigo do parceiro: Nuno Noronha

Comentários